Para uma adequada proteção dos equipamentos eletrônicos sensíveis contra as descargas atmosféricas e seus efeitos, a localização dos Dispositivos de Proteção contra Surtos (DPS) deve ser baseada no conceito de zonas de proteção, que consiste em dividir o volume da instalação a ser protegido em fronteiras. Nelas, são definidos locais com maior ou menor suscetibilidade à ocorrência de descargas atmosféricas, diretamente ou em áreas próximas à estrutura; e classificadas segundo a severidade e suportabilidade dos sistemas às sobretensões transitórias.

• ZPR0 – Zona exposta a descargas atmosféricas diretas, sem atenuação de campo eletromagnético. É subdividida em: ZPR0A – Zona fora do volume de proteção do Sistema de Proteção de Estruturas contra Descargas Atmosféricas (SPDA), exposta a descargas diretas e intensa irradiação de campo eletromagnético. Os sistemas internos podem estar sujeitos às correntes totais ou parciais da descarga.

ZPR0B – Zona dentro do volume de proteção do SPDA, porém sob intensa influência de campo eletromagnético da descarga. Os sistemas internos podem estar sujeitos às correntes parciais da descarga.

• ZPR1 – Zona na qual a corrente de surto é limitada em função da divisão de correntes desviadas pelos DPS localizados na entrada da edificação (ZPR0). Blindagens naturais podem atenuar o campo eletromagnético da descarga dentro da edificação.

• ZPR2 … ZPRn – Zona onde a corrente de surto tende a estar mais limitada devido a divisão de correntes desviadas pelos DPS situados na ZPR1. Medidas adicionais de blindagem podem ser adotadas para atenuar ainda mais o campo eletromagnético da descarga.