-Qual é o elemento de proteção utilizado na linha de DPS SCL?
A linha SCL possuiu proteção composta por centelhador Spark Gap. Esta tecnologia confere ao SCL alta capacidade de dreno de correntes de surtos elétricos na forma de onda 10/350µs.
-O SCL tem sinalização de vida útil?
A linha SCL não possuiu sinalização de vida útil. Valores aplicados como o mínimo de capacidade dos DPS classe I, de acordo com a NBR 5410, são de 12,5kA. Este valor foi identificado levando em conta uma descarga atmosférica 100kA conectando diretamente em uma linha de média tensão. A corrente é dividida sendo 50% trafegado para ambos os lados do condutor. Os 50% que atravessarão um transformador, de média tensão para baixa tensão, conectado a esta linha será dividida em 4 partes iguais, 3 fases e um neutro. Tomando o inverso deste raciocínio, tempos a capacidade do SCL que é de 60kA, que multiplicada por 4 gera 240kA, sendo somada aos outros 50% da descarga, temos o valor de 480kA. Atualmente, registros de magnitudes de correntes de descargas atmosféricas não ultrapassaram os 400kA, o que torna o SCL uma proteção com vida útil extremamente longa, eximindo assim a necessidade de sinalização de vida útil.
-O SCL pode ser utilizado em condutor fase ou neutro?
A tecnologia utilizada no SCL é versátil e abre a possibilidade de ser empregada na proteção em condutores de fase ou neutro.
-Sendo o SCL um DPS de alta capacidade e instalado no ponto de entrada de energia da edificação é necessário a instalação de mais algum DPS a jusante (depois) ao SCL? Como por exemplo, DPS VCL classe II ou filtro de linha.
Sim. Visto que além dos problemas gerados por descargas atmosféricas diretas é possível que descargas atmosféricas indiretas, campos eletromagnéticos induzam surtos elétricos na instalação após a proteção do SCL, outra situação que deve ser observada é a possibilidade de linhas de dados de entrada/saída na edificação que também devem ser protegidas.