A primeira geração do VCL foi criada a partir de uma necessidade recorrente dos clientes: um produto com capacidade de dreno de corrente mais elevada. Até então, trabalhando sob demanda em projetos 100% customizados, a CLAMPER fazia uso da importação para adquirir os componentes que ainda não existiam em nosso país. Um processo repleto de dificuldades,  entraves e burocracias, que resultavam em prazos prolongados de entrega dos materiais vindos de fora do país e consequentemente, para os seus clientes. Frente a essa realidade, a CLAMPER iniciou o projeto que mudaria a sua realidade: a fabricação de seu próprio DPS. Um produto robusto, metálico, com processo de manufatura totalmente interno – usinagem, ajuste mecânico, corte e dobra de chapa.

Mesmo com baixo volume de produção, essa iniciativa significou um grande salto para a CLAMPER: a empresa se livrou das amarras das importações e ganhou, consequentemente, uma competitividade enorme, a partir da redução de custos viabilizada pelo produto próprio.  Uma realidade que a possibilitou alçar voos maiores, oferecendo um produto de prateleira para o mercado. Ao mesmo tempo, após lançar a primeira geração do VCL, a CLAMPER pôde vislumbrar projetos de ampliação da sua capacidade fabril, desenvolver uma área comercial mais estruturada, se preparar para atender ao mercado e se solidificar como referência no segmento de proteção contra surtos.