Youtube Twitter Facebook
Descrio Loja
Vitrine Blog
    30 abr/13
    Mouse Flutuante contra as dores nas mãos


    Quem trabalha por longas horas na frente de um computador já deve ter sentido, entre um clique e outro, uma dorzinha ou desconforto nas mãos, especialmente na utilizada para controlar o mouse. Designers e desenvolvedores do estúdio Kibardindesign tiveram uma ideia interessante para acabar com essas dores: um mouse flutuante.

    Batizado como BAT Levitating Mouse (alguma referência aos gadgets do Homem-morcego?), apenas o protótipo foi desenvolvido, mas ele será dividido em duas partes: uma base conectada ao computador e que parece um mouse pad e o próprio mouse, que terá um arco magnético ao seu redor, permitindo que o acessório fique até 4 cm acima da superfície da mesa.

    0
    29 abr/13
    Estudo avalia o impacto do clima no setor elétrico

    O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), com o apoio da Way Carbon, realizou, entre maio de 2011 e abril de 2013, um estudo intitulado Estudo Sobre Adaptação e Vulnerabilidade à Mudança Climática: o caso do setor elétrico brasileiro. A avaliação desse tema é um esforço do setor empresarial frente à sensibilidade da energia hidroelétrica diante da variação climática e a sua participação na matriz elétrica nacional.

    Segundo a presidente do Conselho, Marina Grossi, os resultados obtidos mostram o impacto das mudanças climáticas, no médio prazo, no cenário energético do país. “A atual estratégia de geração elétrica brasileira dissociada de uma percepção mais precisa das mudanças climáticas levará a um ambiente de ainda mais insegurança – energética, econômica e física”, conclui a presidente.

    A publicação aponta que, se o Brasil insistir na estratégia de priorizar as usinas a fio d’água – que causam menor impacto ambiental – a longo prazo, o resultado poderá ser prejudicial. E como há uma tendência para o aumento dos ventos climáticos, a segurança energética dessas usinas diminuirá e teremos que recorrer, cada vez mais, a outras fontes de energia, como as térmicas, mais caras e poluidoras.

    Três usinas foram analisadas no estudo e apresentam as seguintes características: geração de energia em uma usina de até 30 MW de potência instalada a fio d’água; uma usina de potência instalada de até 100 MW; e uma usina de potência instalada de mais de 1.000 MW, sendo essas duas últimas com reservatório.

    Dados dos últimos 80 anos de vazão dos rios onde essas usinas estão implantadas, foram utilizados, sendo que as mesmas se encontram na bacia do Paraná e na bacia Atlântico Leste/Sudeste, na região de maior concentração de consumo elétrico nacional. Na primeira usina, o estudo prevê um déficit de abril a novembro em 2050.

    Estudos que tratam de mudanças climáticas costumam ter uma previsão de longo prazo, mas para permitir que o estudo seja aplicado às necessidades do planejamento corporativo, foram estudados cenários a médio prazo, em 2020 e 2050.

    Para 2020, foi analisado o impacto e a exposição de cada usina, bem como suas sensibilidades e as variações de produção. Para 2050, a análise dessas variações de produção foi feita por meio de três cenários: cenário de mudança zero, que utilizou a condição de média histórica; cenário de mudança moderada e cenário de mudança extrema. Ficou clara a importância da diversificação das fontes de energia para garantir a complementaridade da geração de energia hídrica.

    “A inclusão da preocupação climática na agenda de planejamento e definição estratégica de expansão do setor de energia brasileiro se mostrou indispensável”, afirma Marina Grossi.

    Fonte: Ambiente Energia

    0
    24 abr/13
    Conheça a mão biônica que pode ser controlada por iPhone

    Uma novidade desenvolvida pela empresa Touch Bionics promete elevar a um novo patamar o conceito de próteses para pessoas que perderam membros do corpo. O modelo de mão artificial i-Limb, lançado recentemente, apresenta alta tecnologia e pode até ser controlada por iPhone e iPad.

    A i-Limb vem sendo desenvolvida há muito tempo e em sua última versão havia recebido conectividade Bluetooth e melhorias nos dedos, mas a nova i-limb Ultra Revolution ganhou ainda rotação no dedão e compatibilidade com o aplicativo Biosim – talvez sua maior inovação.

    Com este software, inicialmente compatível apenas com iOS, a pessoa que utiliza o membro eletrônico tem acesso rápido a 24 diferentes padrões de movimento, além de configurações para modos de utilização. Dessa forma, embora a prótese ainda não possa ser controlada pela mente, ela já pode ser controlada pelo smartphone.

    Veja abaixo uma demonstração da i-limb:

    0
    22 abr/13
    Perigo: crianças e eletricidade

    Crianças em casa significam carinho, diversão e alegria, mas também muito cuidado. No caso da eletricidade então, cuidado redobrado. O risco de choques e acidentes elétricos é grande e os pais precisam estar atentos ou as consequências podem ser graves.

    Uma corrente elétrica passando pelo corpo é o que é chamado choque elétrico. Os efeitos oriundos dele podem causar queimaduras, alterações na frequência cardíaca e no sangue, danos aos tecidos nervosos e, em alguns casos, parada cardíaca.

    E no caso das crianças é preciso lembrar que nessa fase da vida, a curiosidade é grande e o senso de perigo é bem pequeno. Colocar a mão ou um objeto em uma tomada, por exemplo, pode ser fatal para os pequenos. O ideal é usar tomadas com bloqueadores (obturadores) que já vêm de fábrica, para evitar esse perigo.

    Para as crianças um pouco maiores, o risco está nos plugues dos aparelhos. A criança já os alcança e se arrisca ao colocar ou tirá-los da tomada, mesmo no caso do novo padrão de tomadas, que oferece mais segurança. O hábito de retirar o aparelho da tomada puxando o fio, também deve ser evitado e a criança deve ser orientada para que insira ou retire os plugues das tomadas tocando-os apenas no corpo do plugue e nunca puxando o fio.

    Os fios soltos pela casa também são outro risco, pois além de choques, se estiverem desencapados, podem provocar tombos e até mesmo a queda de aparelhos sobre as crianças. É altamente recomendável o uso de canaletas e uma distribuição segura dos fios pela casa.

    Mas é muito importante lembrar que, em caso de acidentes com energia elétrica, deve-se desligar o disjuntor elétrico ou a chave geral da casa e entrar em contato com os Bombeiros (193) ou com o Samu (192). Não toque na vítima ou no fio sem saber se estão desligados.

    Por fim, lembramos que mesmo os dispositivos de proteção da Clamper, que apresentam alto padrão de qualidade e protegem seus aparelhos contra raios e surtos elétricos, não substituem a percepção e o olhar aguçados dos pais para proteger seus filhos, pois a curiosidade das crianças é tão ampla quanto sua imaginação. Por isso, nunca é demais se prevenir.

    0
    17 abr/13
    Como seriam as cidades sem energia?

    A eletricidade é algo indispensável para a humanidade nos dias de hoje, mas você já imaginou como seria o mundo se, de repente, essa energia não pudesse mais ser gerada?

    O fotógrafo francês Thierry Cohen editou diversas imagens e colocou-as em sobreposição para lançar o projeto “Darkened Cities” (Cidades na escuridão). O projeto mostra como seriam algumas das principais cidades do mundo, sem energia elétrica.

    Clique aqui e veja o resultado desse belo trabalho.

    0
    16 abr/13
    Benjamins: risco de acidentes e incêndios

    O benjamim, também conhecido como “T”, é bastante popular e está presente em boa parte dos lares brasileiros. Contudo, esse pequeno facilitador do dia a dia pode acabar sendo, na verdade, o responsável por acidentes, incêndios e perdas inestimáveis.

    Os especialistas e as companhias de energia alertam a população para evitar o uso de vários aparelhos ligados ao benjamim, sob o risco de causarem algum curto-circuito, causando incêndios e acidentes, muitas vezes, fatais.

    Não são raros os benjamins que apresentam problemas de fabricação, possuem baixa resistência e apresentam desgaste, deterioração, folgas ou escorrimento dos seus materiais constituintes. Riscos certos de curto-circuito ou sobrecargas na instalação elétrica.

    Por isso, o uso desse equipamento deve ser evitado e uma boa dica é substituí-los pelos dispositivos de proteção da Clamper.

    Os dispositivos Clamper são testados com o máximo rigor nos laboratórios da empresa e são preparados para resistirem aos surtos elétricos, protegendo os seus aparelhos e a sua família.

    Visite o site da Clamper para mais informações.

    0